Airbus vai montar fábrica na Lua com impressora 3D e braços robóticos

Airbus vai montar fábrica na Lua com impressora 3D e braços robóticos

Com novas tecnologias de impressão 3D e com braços robóticos controlados com uso de realidade virtual, Airbus pretende montar fábrica na Lua e em órbita.

A Airbus está há quatro anos investindo no chamado ISMA (in-space manufacturing and assembly), um processo de fabricação no espaço. Segundo Christophe Figus, gerente do ISMA na Airbus, “nesta década teremos uma grande expansão dos negócios no espaço. Empresas que dominarem a tecnologia de fabricação no espaço serão as vencedoras do futuro.” (tradução livre) Objetos feitos no espaço têm a vantagem de não precisarem se limitar às medidas do veículo lançador, e não terem que ser superdimensionados para resistirem aos esforços impostos pelas condições de lançamento.

Airbus fábrica na Lua
Airbus quer fábrica no espaço e na Lua

Entre as principais conquistas já realizadas pela Airbus nesse projeto está a Metal3D, uma impressora de metal em 3D, que em 2022 deve ser enviada para testes na Estação Espacial Internacional (ISS). A ideia é que um dia, além de utilizar metal como matéria prima, possa-se utilizar areia lunar ou mesmo objetos reciclados (como satélites aposentados, já presentes no espaço). Até o final dessa década espera-se que essas impressoras possam ser enviadas à Lua para fabricar veículos e abrigos.

O projeto ISMA inclui também uma frente para controle por realidade virtual, de forma que um braço robótico possa ser controlado da Terra. Um braço robótico desenvolvido pela Airbus, capaz de operar com alto grau de precisão, deve ser testado na plataforma Bartolomeo da ISS já na metade de 2020. Essa será a primeira fábrica virtual montada no espaço.

Airbus fábrica na Lua
Bartolomeo abrigará primeira fábrica virtual da Airbus no espaço

Todas as novas tecnologias desenvolvidas pelo ISMA são compartilhadas com o departamento de aviação comercial da Airbus. Assim, o projeto ISMA pode garantir não só o futuro da Airbus no espaço, mas também a melhoria dos atuais métodos de produção da empresa na Terra.

Aprendizado com ISMA pode alterar processos de fabricação na Terra

Fonte: Airbus

Confira outros posts como esse.

Subscreva

Subscreva para acompanhar notícias sobre o setor aeroespacial:

Loading

Leave a Reply

Your email address will not be published.

%d bloggers like this: